Sound Track

“Difícil não é lutar por aquilo que se quer, e sim desistir daquilo que mais se ama.(...) » Bob Marley

sábado, 20 de fevereiro de 2010

Meu Amor



Finalmente adormeço,
em braços que não os teus
procuro um corpo
que não me pertence
e os lençóis arrefecem
a cada anoitecer solitário

Estás longe, meu amor

E nesta cama branca
encontro-me só
nua de ti
sem um beijo quente pela manha
nem o brilho que o teu sorriso
me traz

Estás longe, meu amor



e eu abandonada nesta casa
cheia de memorias
tuas, meu amor
nossas,
m
e
u
a
m
o
r
a Saudade magoa


Os meus sonhos estão
guardados entre a alma e o coração
E Não quero deixar voar
a tua voz que me acompanha
neste nosso caminho

Estás longe, meu amor

E eu, espero-te
no nosso Recanto
Desenhado em mim, e Pintado por ti



Amo-te, amor Saudades Apertadas

5 comentários:

Rosie disse...

é verdade que a saudade magoa... mas tu consegues ultrapassar esta fase :)
beijinhos mana´
adoro-te muito muito muito :)

Rosie disse...

é verdade que a saudade magoa... mas tu consegues ultrapassar esta fase :)
beijinhos mana´
adoro-te muito muito muito :)

Íris disse...

Fossem as palavras o suficiente para te confortar. Como não são, deixo-te um beijo imenso, apenas!

Antonio disse...

A saudade magoa! de facto a saudade magoa! Eu sei!

Mas a saudade também significa que o que se viveu também valeu a pena! Só temos saudades do que foi ou é bom!

O teu poema, para além de uma beleza indescritível, é de uma saudade sentida...e, ainda de uma sensualidade requintada..."nua de ti". Saudade e sensualidade.

Antonio

Mary disse...

Tenho um selo para ti no meu blog. Beijinhos