Sound Track

“Difícil não é lutar por aquilo que se quer, e sim desistir daquilo que mais se ama.(...) » Bob Marley

quarta-feira, 10 de novembro de 2010

Desabafo 3


Enquanto me acomodo a este novo espaço
a um coração vazio, desiludido
sem memórias
sem perfumes
sem sons para recordar

Abafo a vontade magoada nos lençóis frios

Enquanto deixo os sonhos fugirem
e serem invadidos pelos medos
e fracassos da vida


Escondo a saudade por entre as mantas velhas da cama

Enquanto as lágrimas teimam em cair
e o coração acelerado em bater descontrolado

Enquanto o ar parece escassear dentro de mim
e os gritos acumulados por dentro a quererem soltar-se

Mergulho a revolta na almofada gasta

e Tomo consciência que nunca te tive
que não há nada que me prenda a ti
não te vi
não te toquei
não te beijei

não te olhei
não te ouvi
não te senti
não te abracei
não te (re)conheço
Como posso te Amar?Como pude te Amar?
As ilusoes não existem mesmo. Somos nós que as criamos para nos afagar a saudade e a solidão.
Só, estive sempre, como agora...



Chamem-me burra que eu hoje deixo.

definitivamente, está na hora de seguir em frente.mas se aprende com os erros, com a dor, com as lágrimas.com o sofrimento e com a revolta que se instala no corpo."Tento esquecer a mágoa, e guardar o que é bom de guardar".obrigada Mafalda V., tens as palavras sabias, que o coração quer ouvir. falta o corpo obedecer.Vou fazer dessas tuas palavras lema de vida. Acredita (tu) ... fica aqui prometido. alguém escreveu-me (em anonimato)a dizer que escrevendo aqui nada me faz seguir em frente,e encarar os problemas de frente... verdade.mas fica aqui escrito que irei dar a volta. e reconheço que desperdicei muito por alguém que não devia.
Mas peço-te que me ajudes, como sempre fizeste.O mundo cega-nos com as suas maravilhas armadilhadas...Sê o meu porto.

5 comentários:

Daniela Ramos disse...

Chamar-te burra, teria que chamar muitos de burros. És uma eterna romântica, e já não existem muitas pessoas assim. Guarda tudo cntg, mesmo sendo bom ou mau. Terás histórias que te fizeram crescer e viver acima de tudo. Beijo linda *

mari (a)penas... disse...

A escrever não vais dar a volta mas o facto de deitares fora as coisas que te magoam ajuda a que magoem um bocadinho menos.

Li algures qualquer coisa como que uma dor partilhada é apenas meia dor.

Estou aqu princesa! Grande beijinho*

*Pérola* disse...

:)

Força miúda!!!

"Bola prá frente q atrás vem gente!"

BeijOoOOoOOO

Labios de Mel disse...

Já sabes o que penso...
Quero-te bem!!

Beijinhos doces

Diana disse...

Andreia, como é do teu conhecimento, eu sigo com alguma regularidade o teu blog. Raramente comento, é certo! Sabes por quê? Porque se o

fizesse iria sempre contra todos os comentários que aqui vejo. Todos sem excepção. Até porque sei que a tua moderação de comentários é muito

exigente, e só é publicado aqui aqueles que "falam bem". E isto pode nem ter grande importância, mas dada a tua situação, tem bastante.

Adiante, e só porque o único comentário (meu) que aqui foi publicado se referia à "nossa" vara bifurcada, não quero que penses que a minha

posição em relação à tua situação será igual aquela que aqui encontras destes teus companheios de blog. De todo...
Gostava primeiramente de esclarecer uma situação antes de comentar este "desabafo". Quando falei no dito "pau com dois caminhos" não foi a

referir-me ao facto de entender aquilo que és e respeitar. Foi sim, em relação as escolhas que fazemos. Acho que captaste mal a mensagem. Eu

quis dizer que, o teu caminho esta-te a afundar cada vez mais, e refiro-me sim, ao blog. Blog este que te isola. Tu isolas-te, não nós,

grupo de caminheiros. Ao contrário do que pensas. Acredito que isso seja somente a desculpa que arranjes para não saíres dessa bolha.

Posto isto, vamos ao "desabafo". Ao ler os comentários deste post, ri-me. Mais uma vez vi aqui que recebes imensas palmadinhas das costas

deste buraco. Ninguém te diz o real e o cru da vida.
És frágil porque queres ser. Todos nascemos com as mesmas capacidades, mas há quem esteja disposto a vingar, e há quem esteja disposto a ser

sombra. Este último é o teu caso. Porque se fosse o contrário, nem deixavas chegar-te a este cúmulo. És burra, sim, és. És burra em

acreditar num amor platónico. És burra em julgares-te sexualmente por algo que nunca calcou o mesmo chão que tu. És burra em não queres sair

daí. És burra em não veres as mãos que existem realmente e te querem puxar para cima, e só te defendes com o "aqui no blog, compreendem-me".

És burra com quem desabafas que é igual a ti. És burra em acreditar que vai haver sempre alguém disposto a estar ao teu lado o resto da

vida, e esqueces-te que as pessoas também se cansam e jamais deixarão parar a vida delas para suportar a tua. É a verdade.
Sei que estou a exagerar do meu defeito/qualidade e a ser demasiado directa. Mas só porque acho que as palavras bonitas já não te fazem

nada.

No entanto, acho que o facto de assumires algo, já é um pequeno passo, no entanto, sei que já o fizeste antes e que o passo seguinte foi

continuares a ser uma avestruz e enfiar a cabeça no buraco. Espero que o mesmo não aconteça desta vez.
Não gostas do que leste? Pois é o caminho que estas a seguir. Resta-te a ti tomares outro rumo.
Interpreta isto como impulso. Lembra-te que eu sei bem mais do que aquilo que me contas. É que estas palavras fantasiadas e que eu considero

de certa forma vazias no significado que tentas transmitir, fintam-te e mostram um outro lado teu que julgas que não está visível.

Por último, gostava que fizesses o mesmo com este comentário, e o publicasses conforme fizeste com os de cima.

Sem mais, beijos,

Diana Oliveira.